quarta-feira, 24 de março de 2010

Nossa glória...


Tantas e tantas vezes,me pego vivenciando uma expressão usada por Paulo,sobre sua visita a uma das Igrejas fundadas a partir do seu ministério.
Os irmãos acharam que as cartas de Paulo eram fortes e expressivas,mas sua presença era ''fraca''.
O que diríamos se Jesus vivesse em nossa geração?Será que ele prenderia nossa atenção por viver glamorousamente,ou simplesmente porque havia verdade e poder em tudo o que ele dizia?
Ele foi um rei sim,mesmo neste mundo,mas um rei nascido em manjedoura e criado em família pobre.
Foi cheio do Espírito Santo,e também João Batista o foi,mesmo sendo um homem com trajes estranhos,e que se alimentava de gafanhotos,mel silvestre e morando no deserto.
O que quero dizer?È que muitas vezes nós cristãos viramos ''atração'' para as pessoas.Enxergam a unção em nós,e formam idealizações a nosso respeito,de ser perfeito e superior.
No mundo,ual!Isso seria muito bom!Quantas vezes um ímpio deseja demonstrar ter e ser mais do que realmente tem e é...
Mas nós não somos,nem devemos ser assim.Somos o que somos,temos como se não tivéssemos e usufruímos como se não precisássemos..
(1 Coríntios 7:
30 E os que choram, como se não chorassem; e os que folgam, como se não folgassem; e os que compram, como se não possuíssem;
31 E os que usam deste mundo, como se dele não abusassem, porque a aparência deste mundo passa.

Logo vão embora os curiosos,os sensacionalistas,os candidatos a empresários ,os descobridores de estrelas...vão embora quando notam que apesar de toda revelação que nós é concedida,somos seres comuns ''comedores de arroz com feijão''.Vão embora porque não vivemos para nos vangloriar e nos exibir,e sendo assim,a convivência perde a graça.
Simplicidade,é o que o Senhor exige de nós,não importando em que patamar nos coloque.Despertar inveja em alguém?Isso é coisa de tolo,pois inveja não é boa pra quem sente nem pra quem recebe.
Assim é o homem ou mulher cheio do Espírito Santo,homens e mulheres de verdade,sem facetas,sem sou-não sou...a glória é dele,nós?Simples vasos de barro,de canto,de centro,para honra ou para desonra...nós diminuímos,até sumirmos...Ele cresce e se revela ao mundo através de nós.

2 comentários:

mag disse...

E' verdade, somos simplesmente pessoas normais, com uma unção e uma visão diferente!Que Ele cresça e eu diminua.bj grande

Pastor Júlio Fonseca disse...

Ainda não havia visto este seu novo layout, parabéns ficou lindo, que Deus continue te abençoando grandemente!

Edificando em todo lugar..

type