segunda-feira, 7 de abril de 2014

As simbologias


Enquanto caminhava ontem pela manhã com meu marido,me lembrava da ordem dada a Deus ao profeta Ezequiel,de como Deus gostava de usar de simbologias através dos profetas,a fim de fazer o povo entender o que estaria para acontecer.
Eram coisas aparentemente malucas ,sem nexo,como por exemplo,comprar uma propriedade num momento onde a cidade estava sendo tomada pelo inimigo e enterrar suas documentações de um modo que o documento durasse por anos.Foi o que ele pediu a Jeremias num dado momento,pois sua intenção era dizer:um dia vocês voltarão para cá e voltarão a comprar casas e terras,plantar,colher e etc..( leia em Jeremias 32)
Em outro momento,o mandou amarrar jugos sobre si;era o sinal de que o povo viveria sobre o jugo dos reinos vizinhos que os levou cativo.(leia em Jeremias 27)
Á Oséias, ordenou casar-se com uma prostituta,amá-la,ter filhos com ela;a intenção era mostrar como  Ele própria se sentia em relação a Israel seu povo:da mesma maneira e com o mesmo gral de sofrimento de um homem que ama uma mulher promíscua,que o trai.(leia em Oséias 1)
E o caso específico que me veio a memória enquanto caminhava,foi a ordem dada a Ezequiel:que pegasse sua mobília,seus trastes-como é o termo usado na própria Bíblia-e fizesse sua mudança para fora dos muros de Jerusalém aos olhos de todo o povo,isto representaria o cativeiro que estava por vir.
Filho do homem, tu habitas no meio da casa rebelde, que tem olhos para ver e não vê, e tem ouvidos para ouvir e não ouve; porque eles são casa rebelde.
Tu, pois, ó filho do homem, prepara mobílias para mudares, e de dia muda aos olhos deles; e do teu lugar mudarás para outro lugar aos olhos deles; bem pode ser que reparem nisso, ainda que eles são casa rebelde.
Aos olhos deles, pois, tirarás para fora, de dia, as tuas mobílias, como quem vai mudar; então tu sairás de tarde aos olhos deles, como quem sai mudando para o cativeiro.Ezequiel 12:2-4

Eu falava sobre isto com o Alex porque penso que com o passar do tempo,creio que sobre influencia na inspiração da Palavra,aprendi a observar muitas coisas numa visão que chamo de 3D.São situações cotidianas,que aos olhos de muitos passam desapercebidas,parecem simples,sem importância,mas para mim,mostram muito mais.Enquanto alguns estão vendo apenas a atitude em si,eu procuro ver os sentimentos e o caráter por detrás dela.
A conversa durante a caminhada foi um pouco tensa,pois eu comparava a mudança de Ezequiel,com sua mobília para fora de Jerusalém,com um período em que estive internada na U.T.I,em estado grave em 2010 por uma infecção urinária que subiu para meus pulmões e me impedia de respirar.Naqueles dias,minha mãe e irmãs me surpreenderam com tanta dedicação!Embora viciadas em seu trabalho,cada uma em sua respectiva loja,elas estavam fielmente lá todos os dias no horário de visita,se deslocavam de cidade,largavam tudo para ir me ver.
Já meu marido,nesta ocasião me decepcionou um pouco:pegou nossa cama(quando o vizinho da frente viu chegou a pensar que eu já havia morrido),levou para casa da mãe dele e ficou lá pelo período em que estive internada,deixando nossa casa vazia.Em relação a loja também não se preocupou m mante-la aberta,apenas foi lá uma ou duas vezes buscar o dinheiro do caixa para levar para a mãe.Foi minha mãe e irmã que se preocuparam em contratar uma funcionária e pagar as contas que internada,eu não poderia pagar. Ele também deixou de ir me visitar num domingo para ir com os pais visitar a irmã,que estava gripada(enquanto eu estava quase morrendo),quando não,não ia porque no dia seguinte teria que ir trabalhar muito cedo,ou porque não queria pegar estrada á noite.Em contra partida os irmãos da Igreja diziam que ele chorava desesperadamente minha falta durante os cultos.
Naqueles dias confesso haver repensado meu casamento.Meu coração se afastou de meu marido,porque o simples fato dele ter tirado nossa cama de casa,não ter dado tanta importância ás visitas nem a loja e voltar para casa dos pais me simbolizavam o seguinte:
Se eu morresse ele voltaria para a vida que tinha antes sem problema algum.Nossa cama,que seria a figura ideal para representar um casamento e a união de um casal se tornaria a cama dele,minha loja seria abandonada ou usada para servir outra pessoa que não tivesse por ela o mesmo carinho e dedicação.Em poucos dias ele havia voltado a pensar ''com a cabeça dos seus pais'' (trocou minha enfermidade grave pela gripe da irmã)ignorando nossa história,nossa vida,nossa casa.
Bom,a medida que eu citava o exemplo bíblico e explicava porque aquelas atitudes me magoaram tanto,o semblante dele era de surpresa por fazer os cálculos segundo a minha cabeça(cálculos que provavelmente ele não fez antes com a dele,suas atitudes foram inconscientes)de susto,e também de arrependimento por haver agido daquele modo;pois embora o caso tenha se dado em 2010,me deixou marcas, me revelando que apesar de todas as palavras de amor,carinho e fidelidade dedicados a mim durante estes 12 anos que estamos juntos,ele teria grande facilidade em reconstruir sua vida sem mim,caso eu partisse antes dele.
Outra comparação maluca aos olhos de muitos que fiz em outra ocasião foi a seguinte: certo dia preparei duas sobremesas num almoço de Domingo,na casa de minha mãe:uma era uma salada de frutas,saudável,natural colorida.A outra era um pavê com creme de baunilha e chocolate,raspas de chocolate,chantilly e morangos.Servi a salada de frutas na mesa e ele estava quase a servir-se dela,quando cheguei com o pavê ;então desistiu da primeira sobremesa e se serviu da segunda.
Minha irmã riu de mim,quando eu disse que aquilo podia revelar uma fraqueza de caráter.E perguntei pra ele:
_E se eu fosse a salada de frutas?
Na verdade,o que eu queria dizer,é que sou para ele tão saudável quanto aquela primeira sobremesa,já que sou uma mulher totalmente dedicada ao nosso casamento e família porém de beleza comum,e sei que ele gosta de mim como sou..mas posso deixar de ser atraente,diante de uma segunda opção(como o pavê de chantilly),algo que pode até fazer mal (se pensarmos em calorias e saúde no sentido de comida e se pensarmos em adultério no sentido de casamento)mas seja delicioso,como uma bela mulher que viesse a surgir de repente.
Estou certa de que alguém possa estar rindo das minhas comparações neste instante,mas escrevo este texto amalucado,para dizer que em primeiro lugar:amo demais meu marido,ele é excelente para mim e testificamos mutuamente um ao outro que desejamos viver juntos até o fim.Certa vez aliás,ele começou a chorar desesperadamente durante uma oração que fazíamos ,só por eu mencionar ao Senhor que queria servi-lo ''até fechar os olhos pela última vez''.Ele diz haver se entristecido porque não suportou imaginar-me morrendo.
Mas apesar disto,entendo que a coisa mais segura é entregar nossa confiança nas mãos do Senhor.Nós falhamos,as pessoas que amamos também.Corremos o risco de sermos surpreendidos pelo abandono daqueles  de quem menos esperamos isto,porém o Senhor jamais nos abandonará.
Sem dúvida minha família hoje é meu maior tesouro e razão da minha felicidade.Meu ótimo relacionamento com minha mãe e irmãs,meu marido,meu filho Gabriel e o filho que espero são com certeza o termômetro ideal para medir o gral da felicidade e dos meus motivos de agradecer ao Senhor a cada dia pela vida que levo,mas preciso me lembrar que,houveram tempos em que nenhum deles esteve ao meu lado,só o Senhor.
Que este texto,embora cheio de casos confusos e abstratos,seja útil  para você naquilo para o qual o Espírito Santo direcionar.Que não sirva apenas para alimentar curiosos em relação a minha vida,meu casamento e etc..mas para se refletir sobre onde e em quem deve estar nossa confiança maior.Refletir sobre o fato de desconhecermos aquilo que somos capazes de fazer para ferir outros,ou que outros mesmo sem querer podem fazer para nos ferir.Creio que se estivermos com nossos olhos fitos no Senhor,ainda que passemos por algum tipo de fatalidade ou traição e abandono,permaneceremos de pé.Que aprendamos a ver o outro e a nós mesmos através das pequenas escolhas do dia-a-dia,isto assusta um pouco,mas nos torna mais aptos a prever e lidar com os problemas caso eles venham a surgir.É claro que não devemos ficar neuróticos,esperando pelas punhaladas ou vendo tantos problemas onde ainda não existem..mas não custa observar,refletir,a vida esta cheia de simbologias,e Deus gosta de usá-las para nos alertar.
*Abraço e paz!


Esta postagem é patrocinada por:
www.chocolateemorango.loja2.com.br

2 comentários:

Náthali Nunes disse...

Excelente reflexão!

Bell disse...

Quando a gente estuda a palavra tudo é um grande mistério e a gente vai aprendendo que Deus está a frente de tudo.

bjokas =)

Edificando em todo lugar..

type