quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Cap.8:Tempo de Amores

***Você lerá agora o início do CAP.8 do livro que escrevi''Sobre Tudo O Que Se Deve Guardar,Guarda O Teu Coração''(todo o livro será postado continuamente nesse blog.)trata-se de um testemunho real,relacionado a vida sentimental de uma jovem cristã.


CAP.8
''TEMPO DE AMORES''

A partir dos 15 anos,as coisas ficaram um pouco mais difíceis para ela.Eram muitos hormônios aflorando em seu corpo,despertando seus instintos femininos e aguçando o desejo de beijar,de tocar e ser tocada.
Não conhecia a sensação de ser beijada,nunca havia sido correspondida no amor,.e com isso o anseio de ser correspondida por alguém que de fato lhe interessasse só se fortalecia com o passar dos anos.Ouvia as amigas contando histórias sobre o envolvimento delas com os meninos,e se sentia''atrasada'',mas também não via sentido algum em fazer como elas faziam,apenas ''ficando'' com um rapaz;queria amar e ser amada,queria um companheiro para compartilhar de sua vida.
Porém,fico imaginando que,se aos 12 anos não tivesse tido um encontro com Jesus,e se não fosse o Espírito Santo aconselhando-a em todo tempo,devido aos complexos e carências que tinha,no mundo,seria presa fácil para rapazes abusados.
Muitas adolescentes por conta de baixo auto estima,com essa idade,se entregam sem distinção a qualquer rapaz que á iluda,e é grande o numero de garotas,principalmente negras,que se tornam mães solteiras bem cedo.Não era á toa que Deus a guardava.
Pode até parecer estranho,mas era fato.Ela sentia o ciúmes de Deus sobre si,e muitas vezes reclamava disso como qualquer garota reclamaria do ciúmes do pai ou do irmão mais velho.Sentia-se como a irmã mais nova de uma família que nunca pode ir ao baile junto com as outras;.Era como naquele trecho do Livro de Cantares de Salomão;
''Temos uma irmanzinha que ainda não tem seios.Que faremos a esta nossa irmanzinha no dia em que ela for pedida?
Se ela for um muro,edificaremos sobre ela uma torre de prata;se for uma porta cerca-la-e-mos com tábuas de cedro.''-Cantares7;8-9-
Deus estava sempre a cercando,fosse com invisíveis ''tábuas de cedro'',ou ''torres de prata''.
Nessa fase, sempre surgia alguém interessado;mas aí,era ela que não conseguia-por conhecer a Palavra- se envolver com um rapaz do mundo.Quando decidia então,por não suportar mais estar sozinha,corresponder,o rapaz já havia desistido.Intervenção real de Deus ou apenas coicidência?
Ela enxergava claramente a intervenção de Deus,e contrariada,falando para Ele ouvir,como alguém que fala mesmo com um pai em ton de birra ameaçava;''Hoje vou chegar na escola e ficar com o primeiro cara que pedir pra ficar comigo''.Era uma cena quase engraçada,se não fosse uma reação angustiada e irritada de quem se via impotente diante de um Deus que decidiu por tempo indeterminado que ela deveria caminhar a sós com Ele .No fundo porém,sabia que era para seu próprio bem,pois Deus ,o Grande Sábio,apenas queria livrar sua pequena serva das armadilhas que o mundo oferece a garotas demasiadamente românticas,como ela era.Quando ela chegava na escola e ouvia o tipo de conversa daqueles meninos,que diziam ;
''-Eu catei 'fulana' semana passada,agora quero catar aquela outra...''- desistia de cumprir a ameaça que fizera,pois não era lixo ou objeto para ser ''catada'' por ninguém ,alem do que, algo tão especial para ela como ''o primeiro beijo,não era para ser compartilhado com um cara que pensasse assim.
O conhecimento da Palavra não a deixava livre para ''curtir'' a sua juventude como uma menina comum;lá vinha o Espírito Santo fazendo-a lembrar que ''não há comunhão entre luz e trevas'';''vós sois templo do Espírito Santo'',''aquele que vive em espírito não cumpre as concupcencias da carne''... e tantos outros versículos que lhe vinham a memória,como um balde d'água fria em seus planos de caráter juvenil..
A unção persegue um justo onde ele for,como diz o Salmo 139;
''Para onde me irei do teu Espírito,ou para onde fugirei da tua face?Se subir aos céus,Tu aí estás,se fizer do inferno a minha cama,eis que ali estás também...''-vers.7e8-
Pra que desobedecer então-ela concluía-se andar na contra mão a vontade de Deus acabaria em frustração mesmo...
Na Igreja,depois de Erivelto,nunca mais se atreveu a demonstrar interesse por mais ninguém;aliás,nunca o esquecera de fato,se procurasse dentro de si,sabia que ele ainda estava lá,doendo dentro de seu coração.Era uma mistura de culpa,mágoa,rejeição,abandono,vergonha,esperança.O Erivelto era um sentimento calado não por falta de força,mas de compreensão ,e também de coragem de mostrar-se.Nessa busca por um par,a motivação principal,era provar pra ele que,apesar de ele não enxergá-la, ela podia sim ser amada.Havia alguma coisa no jeito dele ás vezes que parecia esconder algum sentimento por ela,carinho,atração,não sei;no momento seguinte porém ela olhava e só encontrava desprezo de um rapaz que preferia as ''patricinhas'' e não uma garota pobre e simples como ela era.
De vez enquando-até parecia provocação -ele citava um nome;uma garota chamada Daniela,com quem ele estava ficando,havia ficado ou namorado-ela jamais atreveu-se a pesquisar a fundo essa história.
O fato é que Daniela,esse nome sem rosto para nossa personagem,uma desconhecida,que conhecera ''no mundo'';aterrorizava sua mente,pois conquistara o rapaz que ela mais pura e ricamente desejava.
Em sua mente,Daniela era uma moça linda,de cabelos lisos e cumpridos,pretos ou loiros,descolada,livre de ataques de timidez e complexos de inferioridade,decidida,dona da situação,e claro,patricinha.
Que chances ela,moça morena,de cabelos curtos e crespos,pobre,tímida e tão apreensiva quando perto dele,podia ter diante do ''fantasma'' Daniela?
...Ah,aquela miséria em que vivia com o pai , a madrasta e o irmão recém chegado ali tão próxima de Erivelto...Ah aqueles cabelos,aqueles cabelos...

Um dia,num culto de revelação,comum todas as quintas -feiras na Igreja,onde Deus usava Irmã Luiza com o dom da revelação para cura de enfermidades e demais problemas,houve uma revelação um tanto diferente,uma vez que a Igreja Nikkey não pregava a doutrina de usos e costumes proibindo por exemplo as mulheres de usar calças compridas ou cortar os cabelos.Mas naquele culto Irmã Luiza disse que Deus lhe revelava três mulheres que não poderiam cortar os cabelos e se fizessem isso,a mão Dele iria ''pesar''.
A terceira mulher demorava a aparecer,e Juliana,que estava ao lado de nossa personagem lhe disse;

-Pode erguer as mãos que é você.
Ela respondeu;
-Eu não,Deus sabe que meus cabelos só crescem pra cima e para os lados.
Os cabelos ''crescerem para cima''eram um trauma á parte,pois todas as vezes que se demorava um pouco mais para cortá-los,eles armavam demasiadamente.Nunca se esqueceu da visita que fez a um salão em seu bairro para corta-los,onde os cabeleireiros e clientes,ignorando totalmente sua opinião sobre isso, riam e faziam piadinhas enquanto diminuíam na tesoura o volume excessivo em sua cabeça.Por causa disso,embora desejasse profundamente cabelos longos,preferia ''domá-los'' na tesoura sempre que percebia o crescimento,antes que algum engraçadinho começasse a fazer piadas.Agora estava ali,na Igreja,diante daquela proibição.Juliana tinha razão,ao erguer as mãos descobriu ser mesmo ela a terceira mulher citada na revelação.Então,disse para o Senhor ,passando-lhe toda a responsabilidade do processo de crescimento em ton de intimação;
''Eu deixo ele crescer,mas é o Senhor quem vai cuidar dele.''
No fundo ela se sentia privilegiada por essa ordem vinda de um Deus que a cuidava nos mínimos detalhes.
Não me pergunte porque Deus proíbe alguns de uma coisa enquanto a outros não.Alguns homens da Bíblia ele proibiu de cortar o cabelo,como foi o caso de Sansão;outros de tomar bebida forte,como fez com João Batista..Ele faz o que lhe apraz.
Penso comigo mesma que só havia um motivo de Deus fazer a ela essa proibição.Ele desejava encorajá-la a vencer o medo para alcançar seu desejo.Proibida pelo próprio Deus,mesmo quando achasse que o mais fácil era cortar,teria que deixar os fios crescerem.E foi assim mesmo.Aprendendo a massagear os cabelos para soltá-los da raiz,gastando horrores com cremes de hidratação profunda,fazendo uso de tiaras e etc,que abandonou os cabelos ''curtos como de menino''.

4 comentários:

simplesmentemonalisa disse...

Uau, quantas experiências maravilhosas, essa menina teve com Deus.
E esse cuidado (dos mínimos detalhes) é algo mais que maravilhoso.
Beijos, estou acompanhando e amando essa história.

moses disse...

I really like your blog theme.

Laura Pinheiro disse...

ai ale eu ri do seu cabelo só cresce pra cima rsrsrs,
só tenho uma observação, não sei se vc vai concordar, acima vc disse que muitas garotas com baixa estima na idade da adolecencia se entrega a qualquer um, aí vc citou o que acontece com muitas meninas negras, bom minha opinião é que talves alguem possa se ofender com isso, pois aqui em bh por exemplo a maioria das adolecentes gravidas são brancas.
psiu é só uma opinião!

big bjão!

Alessandra disse...

Laura,aí é que vc se engana,não escrevi pra ofender ninguém e nem acredito que o farei...o problema,é que muitas garotas negras(nem todas)se sentem no íntimo,inferior,como eu já me senti um dia(já viu o testemunho de NÍVEA Soares?)-hoje não mais-inclusive,nem chapinha faço,porque aprendi a amar meus cabelos,que são exóticos,e recebem muitos elogios hoje.A questão é que muitas meninas negras,antes de aprender a se auto valorizar como eu aprendi,se envolvem emocionalmente com caras,que ás vezes também sentem vergonha por elas serem negras,não as assumem,apenas ficam com elas.Isso é fato,claro que muitas garotas brancas também são mães solteiras,mas eu quero mesmo deixar este alerta pra meninas que acham que por causa do tom de péle não tem valor.Tem sim,e quando bem cuidadas são lindas,mas precisam passar longe de homens abusados...creio que não vou ofender ninguém,ate porque estaria ofendendo a mim mesma,que sou afrodescendente sim,e HOJE ao contrário daqueles tempos,me sinto bonita e especial,pois Deus me mostrou que sou.

Edificando em todo lugar..

type