quarta-feira, 5 de maio de 2010

Carta a um pai ausente



Talvez, você esteja no sofá da sala vendo TV e bebendo cerveja. Talvez esteja nas escadas da varanda, admirando o seu carro e fazendo novos planos, ou talvez esteja no carro ouvindo CD sertanejo que eu dei a você no Natal. Eu estou aqui sentada na janela, tentando ver atrás das montanhas, tentando encontrar algum motivo no céu que me convença de que o melhor para mim é permanecer longe de você. Então eu fico juntando todos os nossos erros do passado e frequentemente me pergunto como seria minha vida nestes 9 anos que você não fez parte dela, se de repente as coisas tivessem dado certo para nós três.

Mamãe não se casou novamente , ela não diz , mas acredito que você tenha sido uma página tão significativa na vida dela que ela optou por não escrever nada por cima, para não apagar seu nome, nem sua lembrança de nossas vidas.

Você nos marcou profunda e perpetuamente com seu jeito machista de ver as coisas, de não se apegar a responsabilidades e sempre cair fora quando algo dá errado. Com sua tendência a dar mas valor á vida lá de fora, ouvindo o que seus amigos diziam, e se deixando levar por mulheres que não tem a mínima consideração pela instituição casamento e sequer sabem o que é família. Mas a mamãe está bem, superou e hoje olha triunfante todas as suas conquistas , inclusive a de se ver livre de você.

Eu não posso dizer o mesmo, desenvolvi uma insegurança enorme para quase tudo o que eu faço. Quando paro e observo minha vida hoje, me sinto perdida nessa casa tão grande, abandonada ... como se você tivesse dito: " Um dia volto pra te buscar" mas você não voltou. Você nos causou muitas marcas e elas vieram junto com a mudança, não sei s eu vou superar isso. Com sorte talvez eu possa sobreviver por mais 9 anos longe de você.

Espero você voltar, sabia? Mas para isso você teria que abandonar mais uma família, não é mesmo? Não quero que meu irmão sofra. Ah! É verdade , você já cuidou disso. Lamento que ele só a tenha você e precise precisa suportar a madrasta, essa mulher fria que está ai do seu lado.

Quando é que você vai crescer? E arcar com as consequencias de seus atos? Será que você não aprende mesmo? Sinto sua falta, sabia? No sofá ainda tem seu lugar, e aquele retrato esta na parede do meu quarto. Você estava tão confiante no dia do meu batismo, me segurando em seus braços tão orgulhoso...
Se você sentir saudades... ou se sentir culpa. Se houver alguma coisa que eu possa fazer... A gente podia sair qualquer dia para conversar. Tenho tanto pra dizer. Mas o que eu não posso suportar, é seu silêncio, seu jeito frio de se manter distante. É domingo. Estou esperando você me ligar.

Com saudades,

Sua filha.
Autora:Fábia,visite o blog dela clicando aqui

Provérbios 22:14 ¶ Cova profunda é a boca das mulheres estranhas; aquele contra quem o SENHOR se irar, cairá nela.

5 comentários:

Fabio Faith disse...

Muito profundo e impactante esta Carta a um pai ausente!!!

Page From The Life - Páginas da Vida disse...

isso qe eu chamo de superação nem todos qe tem uma historia como essa são dignos de expor !

Gilson Marcato disse...

Bom dia!

Gostei demais desta postagem, emocionante. Meus parabéns, e parabéns pelo blog, está uma benção.

Jaki Candido disse...

Nossa tão linda e tão triste essa carta '-'

Rafael disse...

Nossa, muito linda sua carta... me identifiquei bastante com ela... sei, e posso imaginar o que passa na sua cabeça.. é triste, mas é a realidade.. fica com Deus, e se cuida..

Edificando em todo lugar..

type